Instituição de ensino:

Universidade de Brasília (UnB)

Programa:

Estudos Comparados sobre as Américas (Ceppac)

Autor:

Alan Kardec Martins Barbiero

Titulação:

Doutorado

Ano de defesa:

2000

Link:

 Não disponível

Resumo:

 Criado pelo Tratado de Assunção, em 1991, o Mercosul tomou proporções que extrapolam a esfera da economia. Os poderes executivos da Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai lideram este processo de integração regional, mas não o fazem sem que alguns setores da sociedade civil se organizem buscando criar um poder de influência nas negociações em curso. Destacam-se as centrais sindicais que se articulam no Cone Sul reivindicando espaços institucionais de participação, colocando em pauta a dimensão social da integração. A partir disso perguntamos: podemos pensar o Mercosul como um espaço público? Esta é a questão central que orienta a pesquisa. Desta forma, o autor desenvolve uma interpretação do Mercosul a partir da categoria sociológica espaço público, tentando evidenciar as relações de poder no processo de integração do Cone Sul. Veremos que o Mercosul, embora alguns espaços de mediação entre o Estado e a sociedade tenham sido criados, ainda se configura mais como um espaço estatal do que como um espaço público.

Orientador:

Yves Chaloult

Palavras-chave:

Mercosul; Integração regional; Sindicalismo