Instituição de ensino:

Universidade de Brasília (UnB)

Programa:

Estudos Comparados sobre as Américas (Ceppac)

Autor:

Natália Catalina León Galarza

Titulação:

Doutorado

Ano de defesa:

2001

Link:

 Não disponível

Resumo:

 A tese estuda os sentidos políticos da legitimação de dois políticos (neo)populistas, na perspectiva da comparação de dois "mundos da vida". São analisados os processos singulares de semiotização da política pelo eleitorado, através da análise do gênero, mas a reflexão remete também aos efeitos dos sentidos gerados a partir da singularidade na produção da esfera pública. São abordados os sentidos políticos criados nos discursos dos candidatos, como ponto de partida da leitura e dos sentidos elaborados por eleitores e eleitoras. A primeira tese central do trabalho sugere que os reconhecimentos eleitorais estão baseados na resignificação social de uma imagem paterna, através da demanda de um "herói da exceção", de uma figura repressiva e autoritária que, no âmbito da esfera pública, poderia transformar-se em fator da governabilidade, no contexto do modelo de ajuste estrutural. Em segundo lugar, se produziriam identificações com esse herói político, as quais, sendo masculinas são produzidas pela introjeção negociada dos atributos fálicos. Ao mesmo tempo, as identificações femininas e feminilizantes são ambíguas e oscilam entre a entrega e a demanda de proteção social e uma identificação masculinizante. Assim, o gênero se constitui numa das condições de possibilidade para um contrato social permissivo à repressão e à violência de Estado. Em terceiro lugar, a configuração e a textura social do Brasil, durante 1985-1989, possibilitaram que Collor fosse construído como um herói político extra-humano, enquanto que, nas circunstâncias históricas do Equador da primeira metade dos anos 1990, Bucaram teve que se apresentar como um herói político terreno e mimetizado com os seus eleitores.

Orientador:

Rita Laura Segato

Palavras-chave:

Gênero; Brasil; Equador