Instituição de ensino:

Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ)

Programa:

Ciência Política

Autor:

Marianna Restum Antonio de Albuquerque

Titulação:

Mestre

Ano de defesa:

2015

Link:

Não disponível

Resumo:

O Brasil no Conselho de Segurança: Votações em Resoluções de Capítulo VII (1993-2011). 107 págs. Dissertação (Mestrado) - Mestrado em Ciência Política, Instituto de Estudos Sociais e Políticos, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2016. Partindo da hipótese geral de que potências médias emergentes possuem atuação diferenciada em questões que envolvem segurança internacional e em temas que não envolvem uso da força, esta dissertação aplica essa diferenciação à participação do Brasil na Organização das Nações Unidas (ONU). Para fazê-lo, iniciou-se com a elaboração de perspectivas teóricas sobre o comportamento de países emergentes em organização internacionais, por meio de jogos de coordenação e de estratégias de equilíbrio de poder, como o soft balancing. Além disso, elaborou-se um breve panorama sobre o histórico da ONU e das relações bilaterais Brasil-Estados Unidos, assim como da atuação brasileira na instituição e em outros âmbitos do sistema multilateral. Para analisar a hipótese geral, o caso do Brasil foi estudado por meio de seus votos conferidos na Assembleia Geral das Nações Unidas (AGNU) e no Conselho de Segurança das Nações Unidas (CSNU), órgãos com membros, temas e desenho institucional diferenciados. A metodologia empregada foi quantitativa, pelo cálculo do Índice de Convergência Simples entre os votos de Brasil e Estados Unidos na AGNU e no CSNU, no período pós-Guerra Fria, para verificar como o Brasil se comporta nos dois casos. Os resultados numéricos basearam um esforço de análise qualitativa, com base na literatura especializada, para identificar os possíveis motivos explicativos da inserção brasileira no sistema internacional.

Orientador:

MARIA REGINA SOARES DE LIMA

Palavras-chave:

Brasil; Conselho de segurança; potências médias emergentes; segurança internacional; ONU; Brasil-EUA; AGNU; CSNU;