Instituição de ensino:

Programa San Tiago Dantas (UNESP, Unicamp e PUC-SP)

Programa:

Relações Internacionais

Autor:

Katiuscia Moreno Galhera Espósito

Titulação:

Mestrado

Ano de defesa:

2012

Link:

 http://www.santiagodantassp.locaweb.com.br/novo/dissertacoes-e-teses/item/download/112_23a235d1cd83fcad90ef3b5939a8f932.html

Resumo:

 A internacionalização das empresas se fortaleceu a partir da década de 1970. Ao longo de tal processo, na era “pós-fordista” ou da “acumulação flexível”, as cadeias produtivas das multinacionais se tornaram crescentemente descentralizadas, intensificando a divisão internacional do trabalho já existente. Assim, por exemplo, trabalhadores no Paquistão, enfrentando baixos salários e ambiente pouco propício à sindicalização, contribuem, ainda que não intencionalmente, para o aumento da desigualdade de renda no mundo. Os sindicatos, por seu turno, têm testemunhado a queda geral dos níveis de sindicalização e a constante desregulamentação do trabalho, que, por sua vez, têm afetado inclusive os direitos historicamente conquistados por trabalhadores de países onde o “diálogo social” é considerado avançado, como na Alemanha. Afinal, não interessa às empresas o emprego de mão-de-obra cara, com os altos custos da seguridade social alemã, quando operários paquistaneses podem fazer o mesmo trabalho a custos menores. Uma das estratégias dos sindicatos frente a esses processos é a atuação em nível transnacional, através de redes de informação, comunicação e mobilização globais. O objetivo da presente dissertação é compreender essas formas de organização sindical que atuam no plano transnacional: as Federações Sindicais Internacionais (FSIs), também conhecidas como Global Union Federations (GUFs). Mais especificamente, o exame será realizado sobre a internacionalização da campanha dos trabalhadores mexicanos em duas plantas (FINSA e Interiores) de uma maquila estadunidense, a Johnson Controls, e sobre o papel da Federação Internacional dos Trabalhadores da Indústria Metalúrgica (FITIM) nesse processo. Examinaremos os estudos de caso sob a luz da literatura que trata de Teoria Crítica, sindicalismo transnacional, pós-fordismo/acumulação flexível, redes sociais e o papel do Estado. Ao final esperamos demonstrar a ação das redes internacionais de sindicatos e seus resultados nos dois loci propostos.

Orientador:

Tullo Vigevani

Palavras-chave:

Organizações Internacionais; Sindicalismo - Globalização; Sindicatos Metalúrgicos; Redes de Informação; México – Trabalhadores da Indústria; Federações Sindicais Internacionais (FSIS)