Instituição de ensino:

Universidade de São Paulo (USP)

Programa:

Ciência Política

Autor:

Tiago Peterlevitz

Titulação:

Mestrado

Ano de defesa:

2011

Link:

 

http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8131/tde-09042012-135450/publico/2011_TiagoPeterlevitz_VRev.pdf

Resumo:

 Até o presente, todas as avaliações de regime político tiveram que escolher um lado ao depararem- se com o trade-off entre tipo e grau. Esforços dicotômicos e tricotômicos produziram avaliações tipológicas significativas, mas incapazes de estabelecer gradações entre países muito diferentes. Trabalhos policotômicos ou contínuos forneceram avaliações nuançadas, todavia as tipologias que derivam deles são casuísticas e baseadas em distinções artificiais. Ademais, avaliações de países em desenvolvimento frequentemente apresentam sérios problemas de validade e adequação conceitual. Este estudo usa insights da lógica de fuzzy sets de modo a superar o mencionado trade-off, mediante o desenvolvimento de uma avaliação original de regimes que é contínua e de natureza tanto qualitativa como quantitativa, apresentando maior poder discriminatório do que todas as demais disponíveis na literatura. O trabalho também mostra que aspectos relacionados ao primado da lei são cruciais para o exame de regimes políticos e não podem ser desconsiderados, sobretudo quando países em desenvolvimento são analisados. Colômbia e Venezuela foram os casos em que o arcabouço elaborado foi aplicado, o que resultou em avaliações que apresentam menos problemas de validade e adequação conceitual do que as produzidas por Cheibub, Gandhi e Vreeland, Freedom House e Polity IV.

Orientador:

Rogério Bastos Arantes

Palavras-chave:

Democracia; Regimes políticos; Conceituação e mensuração; Colômbia; Venezuela