Instituição de ensino:

Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)

Programa:

Relações Internacionais

Autor:

Mathias Seibel Luce

Titulação:

Mestrado

Ano de defesa:

2007

Link:

 

http://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/14394/000659363.pdf?sequence=1

Resumo:

 Esta dissertação resgata a tese de Ruy Mauro Marini sobre o subimperialismo brasileiro – formulada no interior da Teoria Marxista da Dependência – aplicando-a à análise da política de integração regional do governo Luiz Inácio Lula da Silva, no contexto atual das relações interamericanas. Partindo dos nexos categoriais da tese sobre o subimperialismo, busca-se examinar criticamente o papel do Estado nas iniciativas de integração econômica como a ALCSA e a IIRSA, bem como a tendência expansionista das firmas de capital brasileiro na América do Sul, a partir da hipótese de uma reconfiguração territorial e da divisão regional do trabalho que atendem a interesses da burguesia brasileira integrada ao imperialismo dominante, bem como a seus sócios locais. Simultaneamente, discute-se a dinâmica de cooperação e conflito entre Brasil e EUA pelo controle do sistema regional de poder sul-americano, na qual em que pese existirem atritos, prevalece o objetivo comum de preservar, mediante a produção de consensos e o uso da coerção, o status quo capitalista nos países onde se desenvolvem as lutas antiimperialistas mais radicalizadas. Partindo dessa dupla dimensão, e valendo-se da correspondência diplomática coletada no Arquivo Histórico do Itamaraty, bem como de dados econômicos obtidos de diferentes fontes, atualiza-se a tese de Marini para nossos dias, propondo elementos adicionais de operacionalização de suas categorias de análise.

Orientador:

Carlos Schmidt Arturi

Palavras-chave:

América do Sul; Brasil; Estados Unidos; Integracao regional; Política externa; ALCSA; BNDES; IIRSA; Teoria da dependência