Instituição de ensino:

Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio)

Programa:

Administração de Empresas

Autor:

Ana Paula Keil Neves

Titulação:

Mestrado

Ano de defesa:

2009

Link:

 http://www.maxwell.lambda.ele.puc-rio.br/Busca_etds.php?strSecao=resultado&nrSeq=14157@1

Resumo:

 A indústria de telecomunicações é caracterizada principalmente pela inovação e pelo dinamismo. Nos últimos dez anos, as inovações tecnológicas que surgiram mudaram a forma das pessoas e empresas se conectarem. Empresas de telecomunicações cada vez mais estabelecem alianças e redes estratégicas para competir no mundo globalizado. O presente trabalho tem como objetivo contribuir para os estudos sobre gestão estratégica das empresas em alianças e redes de relacionamento que atuam globalmente e em ambiente de mudanças, analisando suas implicações na conduta e no desempenho das empresas. Tem como foco, dentro da indústria de telecomunicações, o setor dos fornecedores de equipamento de rede para telefonia móvel. Abrange três estudos de caso das empresas líderes no mercado global de fornecimento de equipamentos de rede para telefonia móvel: NokiaSiemens, Ericsson e Cisco, adotando a metodologia de estudo de caso de Yin (2002). Baseia-se no pressuposto de que é importante considerar as implicações das alianças e redes, dadas suas características, bem como as implicações da sua atuação global na análise da conduta e do desempenho das empresas. Para o levantamento de dados foram utilizadas as informações públicas disponíveis nos sites especializados da indústria de telecomunicações e nos sites das empresas, além de questionários e entrevistas complementares para capturar as percepções dos executivos sobre as empresas e sua atuação global. Para a análise estratégica sob a ótica relacional foi adotado o ferramental Strategic Network Analysis - SNA de Macedo-Soares (2002) que inclui um modelo, uma metodologia e listas de referência com construtos relacionais. O estudo acrescentou a estas listas novos construtos pertinentes à gestão de mudanças e à atuação no nível global. Com base nos resultados da análise relacional, a pesquisa evidenciou que as empresas do setor de equipamentos de rede possuem estruturas mais maduras para o gerenciamento de suas alianças e redes estratégicas. As três empresas estudadas consideram que as alianças e redes globais são importantes para suas estratégias globais e as utilizam principalmente para ampliar suas competências. Trata-se de um setor que está em uma fase de transição entre uma atuação dirigida pelo produto e uma atuação impulsionada pelo mercado, o que o torna relevante para o estudo de gestão de mudanças estratégicas. A esse respeito, cabe notar que o estudo evidenciou que as três empresas focadas utilizam redes e alianças para conseguir gerenciar suas mudanças estratégicas, em alguns casos através da aquisição de empresas que ampliem suas atuais competências e em outros ao estabelecer alianças com os próprios concorrentes, principalmente quando o objetivo é de criar, desenvolver ou ampliar o mercado - em especial por meio de uma inovação tecnológica.

Orientador:

Teresia Diana Lewe van Aduard de Macedo-Soares

Palavras-chave:

Alianças estratégicas; Redes estratégicas; Estratégias globais; Gestão de mudança; Telecomunicações; Equipamentos de rede de telefonia móvel.