Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

 

Teses e Dissertações de 2007

  

O Centro de História e Documentação Diplomática assinala que os conceitos e opiniões expressos nos trabalhos listados a seguir são de exclusiva responsabilidade de seus autores.


Título: Domínios e Império: o Tratado de 1825 e a Guerra da Cisplatina na construção do Estado no Brasil
Autor: Mônica Gouvêa Cunha
Ano: 2007
Instituição: UFF
Resumo: O presente estudo tem como objetivo discutir a Guerra da Cisplatina e sua ingerência sobre a formação do Estado Imperial brasileiro. Consideramos o fato de o conflito ter se iniciado após o reconhecimento da autonomia política do Brasil, pelo Tratado de Paz e Amizade, firmado em 29 de agosto de 1825, a partir da intermediação inglesa. Procuramos demonstrar a importância da Guerra da Cisplatina, primeiro conflito internacional do Brasil Independente, para a política interna e externa do Império, no primeiro quartel do Oitocentos. Indicamos que tal evento não foi motivado unicamente pela questão territorial, tendo sido um recurso extremado para a afirmação da Soberania do novo Estado e da autoridade de D. Pedro I.

Título: A “Questão Palestina” e os Acordos de Oslo: Segurança sem Paz
Ano: 2007
Instituição: UERJ
Orientador: Williams da Silva Gonçalves

Título: A descolonização da África e o luso-tropicalismo: repercussões no Brasil e em Portugal.
Ano: 2007
Instituição: UFG
Resumo: O objeto deste trabalho é o estudo da descolonização da África, com enfoque no fim do império colonial português, o luso-tropicalismo e seus desdobramentos. O período analisado com maior ênfase é o pós-Segunda Guerra Mundial (1945) até a Revolução dos Cravos e o período de reconhecimento da independência de Angola e Moçambique em 1975. Estudarei alguns intelectuais que abordaram concretamente o processo de descolonização, particularmente Gilberto Freyre e José Honório Rodrigues, bem como o uso do luso tropicalismo no discurso do império colonial português, dando relevância às lutas de libertação das colônias portuguesas no continente africano, que repercutiram também no Brasil, influenciando intelectuais, a diplomacia e alguns movimentos sociais.

Título: Diplomacia e religião: encontros e desencontros nas relações entre a Santa Sé e a República Popular da China (1949-2005)
Ano: 2007
Instituição: UFRGS

Título: O Império do Brasil, a República Oriental e a Guerra do Paraguai: Estudo sobre as relações do Império do Brasil com o Prata, 1864-1866.
Ano: 2007
Instituição: USS
Resumo: Este trabalho buscou alinhar dados, do período imediatamente anterior à deflagração da Guerra do Paraguai, e dos seus lances iniciais, até 1866, para análise da política externa do Império do Brasil em relação à região do Rio da Prata. Para tanto buscou levantar indicações das propensões e interesses políticos e culturais ds camadas sociais encarregadas da gerência do Estado, e seus instrumentos políticos e coercitivos disponíveis para a concretização dos seus eventuais objetivos estratégicos em relação aos Estados platinos.

Título: Pensando um continente : a Revista Americana e a criação de um projeto cultural para a América do Sul
Ano: 2007
Instituição: PUC-Rio
Resumo: Esta tese tem como objetivo analisar, enquanto uma comunidade argumentativa, a Revista Americana publicada pelo Itamaraty, com algumas interrupções, entre os anos de 1909 e 1919. Nesse sentido o pilar central do trabalho pautou-se na análise dos debates, dos atos de fala formulados, acerca da compreensão do papel a ser exercido pela diplomacia no novo concerto internacional, valorizando a discussão sobre temáticas relacionadas ao posicionamento da América do Sul no contexto mundial É possível notar a valorização, nas páginas da Revista, de determinados aspectos da história sul-americana, com o objetivo de se construir um ideal continental. Tal valorização possibilita pensá-la como um espaço no qual se refletiu sobre um projeto para a América do Sul, baseado na construção de uma identidade, marcada por características próprias e específicas construídas ao longo de sua história e que teriam, sobretudo, por meio da ação de sua diplomacia a possibilidade de concretização.

Título: A iconografia da Guerra do Paraguai e o periódico Semana Illustrada - 1865-1870: um discurso visual.
Ano: 2007
Instituição: UFGD
Resumo: A chamada Guerra do Paraguai ou a Guerra da Tríplice Aliança, que se estendeu entre os anos de 1864-70, marcou profundamente os países nela envolvidos e transformou o cenário geopolítico da região platina. Nesse período, um amplo material iconográfico foi produzido sobre o confronto, tais como a pintura, ilustração, fotografia e a imprensa, que tiveram papel primordial na representação dos personagens e cenários da guerra. A opinião da imprensa ilustrada variava conforme os resultados obtidos nos campos de batalhas e, também, conforme a reação da sociedade ante ao evento bélico, que atingia a todos. Então, neste trabalho, priorizam-se a leitura e interpretação das imagens da Guerra contra o Paraguai, enfatizando-se a produção, publicação e recepção para o público oitocentista. Imagens, monumentais, que contribuíram para formar a memória do maior confronto bélico jamais visto na América do Sul.

Título: A diplomacia dos petrodólares: relações do Brasil com o mundo árabe (1973-1985)
Ano: 2007
Instituição: UNESP/ASS
Resumo: Este trabalho trata das relações entre o Brasil e o Mundo Árabe, especialmente depois da primeira crise do petróleo, em 1973. Diante da disparada do preço do petróleo, o Brasil passou a intensificar o seu intercambio diplomático e comercial com os países árabes no intuito de suavizar os efeitos da crise. De forma inédita e adotando uma política externa pragmática baseada no interesse comercial do país,o governo Geisel incrementou as relações do Brasil com o Oriente Médio e norte da África. Nesta busca por novos aliados, destacou-se o Iraque. A amizade Brasil-Iraque começou com a prospecção de petróleo e a descoberta pela Petrobrás do poço iraquiano de Majnoon, um dos maiores do mundo, e também pela construção de estradas e ferrovias.

Título: Sociabilidade e política: Oliveira Lima, Joaquim Nabuco e o Pan-Americanismo (1899-1907)
Ano: 2007
Instituição: UNESP Franca

Título: Política Externa Brasileira e a Argentina na Gestão Lauro Müller(1912-1917)
Autor: Marisa Smirdele
Ano: 2007
Instituição: UPF
Resumo: Lauro Müller é considerado um dos mais importantes políticos catarinenses. Foi eleito como governador de Santa Catarina por quatro vezes, foi deputado federal, senador, Ministro da Indústria, Viação e Obras Públicas e das Relações Exteriores. Seu nome está gravado em ruas, pontes, praças, grupos escolas e até em um Município de Santa Catarina. Até mesmo na cidade do Rio de Janeiro, seu nome está gravado em lugares públicos. Lauro Müller foi o que podemos chamar de um “Homem de Estado”. Foi nesta condição que esteve à frente do Ministério das Relações Exteriores do Brasil, de 1912 a 1917. Além de substituir o ícone da diplomacia brasileira, o Barão do Rio Branco, Lauro Müller teve um outro enorme desafio: conduzir a política externa do país diante do primeiro grande conflito do século XX: a Primeira Guerra Mundial. Acusado de germanófilo, foi obrigado a exonerar-se do cargo. Em relação ao continente americano, procurou traçar uma política de maior aproximação com os Estados Unidos, bem como a Argentina. Esta aproximação com a região platina teve seu auge com a assinatura, em 1915, de um Tratado de Cordial Inteligência, visando a solução pacífica de controvérsias internacionais e que envolvia os três mais importantes países da região, Argentina, Brasil e Chile, e ficou conhecido como Tratado do ABC.

 

Fim do conteúdo da página